Mensagem aos Profissionais de São Paulo

postado em: Notas | 1

  1. Carlos Ely Guastini

    Para que possamos efetivamente colaborar com o enfrentamento da crise, precisamos nos mobilizar no sentido de buscar o resguardo de nossa própria subsistência, possibilitando, desta maneira, que desempenhemos nosso papel social. Digo isto porque, pelo que notei no pacote anunciado pelo Governo Federal, a ajuda proclamada se destina a pessoas de baixa renda e pequenas e médias empresas. Não se vê, até o pressente momento, qualquer menção de socorro a profissionais liberais que não se encontram inscritos no Cadastro Único para Programas Sociais, por auferirem renda mensal pouco superior àquela estipulada pelo Governo Federal. Tal grupo de profissionais, ao qual pertenço, é composto de pessoas que, em sua maioria, também não tem qualquer tipo de poupança e depende de sua atividade diária para pagamento de suas contas, aí incluídas aquelas necessárias à manutenção de sua atividade profissional.
    Um perito Judicial, por exemplo, vê seus rendimentos caírem na virada de cada ano, por conta do recesso do judiciário. Começa a ter certo fôlego financeiro a partir de março/ abril. Como a crise do Covid-19 se instalou no País exatamente neste período, encontram-se descapitalizados, correndo o risco de não conseguirem manter o sustento próprio e de suas famílias, além de não conseguirem manter em funcionamento seus próprios escritórios.
    Necessário se faz, portanto, que a APEJESP (por conta do exemplo citado), juntamente com outras entidades de classe, como o CFC, OAB, CFM, CFE e outros se mobilizem no sentido de interceder junto às autoridades, procurando algum tipo de auxílio a estes profissionais.
    Importa aqui ser salientado que os profissionais liberais autônomos e FORMAIS, não contemplados pelos programas de auxílio anunciados pelo Governo Federal, representam uma parcela significativa da força de trabalho brasileira. Pagam impostos, são consumidores de bens e serviços, e colaboram significativamente com a máquina econômica do Estado, não podendo serem deixados de lado neste momento de crise que atinge a toda a sociedade brasileira.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *